Marido de Caroline Bittencourt será indiciado por homicídio culposo - Se Liga na Notícia
Marido de Caroline Bittencourt será indiciado por homicídio culposo

Marido de Caroline Bittencourt será indiciado por homicídio culposo

Compartilhe:


A Polícia Civil informou nesta segunda-feira (6) que vai indiciar por homicídio culposo — sem intenção de matar — o empresário Jorge Sestini, marido de Caroline Bittencourt. As informações foram inicialmente divulgadas pela TV Record e confirmadas pela reportagem do Yahoo.
Caroline morreu ao cair de uma lancha durante vendaval que atingiu o litoral norte de São Paulo no dia 28 de abril. A decisão de Vanderlei Pagliarini, delegado responsável pelo inquérito, aconteceu após ouvir formalmente o dono da marina de onde partiu a embarcação.

De acordo com o inquérito policial, o dono da marina, Lenildo da Ressurreição Oliveira Carvalho, avisou Jorge para tomar cuidado, pois ‘iria entrar um [vento] Noroeste no sábado ou no domingo’. Os fatos foram repassados por WhatsApp, com o inquérito inclusive citando mensagens na qual Lenildo pede que o casal encontre abrigo.
“Não se discute que o evento que resultou na morte de Caroline Bittencourt Barbosa se cuida de uma tragédia familiar […], a perda e a dor são incomensuráveis. […] Entrementes, competindo à Polícia Judiciária a apuração das responsabilidades […] e diante do conjunto de provas e indícios coligidos até esse momento, vislumbra-se com clareza e incidência de conduta culposa de Jorge Nogueira Sestini”, afirma o inquérito.
Às 15h44 do dia do acidente aconteceu o último contato entre Lenildo e Jorge, via mensagem de áudio do WhatsApp. Na mensagem, agradeceu o aviso e afirmou que estava no canal entre São Sebastião e Ilhabela. A previsão era que o casal chegasse às 17h30 — o vendaval atingiu o local por volta das 17h. E Oliveira afirma que tentou contato às 17h15 com o casal, alertando que não tentasse a travessia e deixasse para o dia seguinte.

"Sabedor do mau tempo que assolava naquele momento a região, especialmente para quem se encontrava a bordo de embarcações de pequeno porte, expressamente advertido a esse respeito, resolveu por lançar-se ao mar, não providenciando ao menos que a vítima utilizasse um colete salva-vidas, como lhe competia, negligência indiscutível que remete aos fundamentos dos delitos culposos", disse o delegado no documento.
O pedido de indiciamento foi enviado para a polícia de São Paulo, que deve intimar Sestini para ouvi-lo. Ainda não há data para o procedimento.

Fonte:YAHOO!

Pages